ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Comparação do Grau de Tolerância ao Exercício em Crianças após Tratamento Cirúrgico de Defeitos Cardíacos Complexos, Avaliados Usando Ergoespirometria e o Nível do Peptídeo Natriurético Cerebral

Comparação do Grau de Tolerância ao Exercício em Crianças após Tratamento Cirúrgico de Defeitos Cardíacos Complexos, Avaliados Usando Ergoespirometria e o Nível do Peptídeo Natriurético Cerebral

Crianças que foram submetidas à cirurgia por defeitos cardíacos congênitos complexos apresentam pior capacidade de exercício do que seus pares saudáveis. Em adultos e adolescentes, a insuficiência cardíaca é avaliada com base nos sintomas clínicos, utilizando a pontuação da New York Heart Association (NYHA), enquanto na escala infantil de Ross; A insuficiência cardíaca também pode ser avaliada por outros parâmetros. O objetivo deste estudo foi comparar o grau de tolerância ao exercício em crianças após cirurgia para defeitos cardíacos complexos, avaliados pela razão entre o consumo máximo de oxigênio (VO2máx) e o peptídeo natriurético cerebral (fragmento N-terminal do hormônio natriurético tipo pro-hormonal). concentração de péptido [NT-proBNP]).

O grupo de estudo foi composto por 42 crianças, com idades entre 9 e 17 anos (média 14,00 ± 2,72). Entre eles, 22 crianças com tetralogia de Fallot (ToF) após correção total, 18 crianças com transposição das grandes artérias (d-TGA) após a operação de troca arterial e 2 crianças com ventrículo único (SV) após a operação de Fontan. Todas as crianças, com exceção de uma, estavam em classe I da NYHA. O grupo controle consistiu em 20 crianças saudáveis. Os resultados de interesse foram a razão do VO2max, determinado durante a ergoespirometria, e o nível de NT-proBNP. A análise estatística foi realizada e os grupos foram considerados significativamente diferentes para P ?<0,05.

Não houve correlação estatisticamente significativa entre o NT-proBNP e o consumo máximo de oxigênio (VO2) kg ?1 min ?1 no grupo de estudo em comparação com o grupo controle.

O VO2max no grupo teste apresentou um valor médio menor (34,6 ± 8,0) que controles (38,4 ± 7,7), e as diferenças foram estatisticamente significativas ( P ?= 0,041). Em contraste, a concentração média de NT-proBNP no grupo de estudo foi maior do que os controles (117,9 ± 74,3 vs 18,0 ± 24,5), e essas diferenças foram estatisticamente significativas ( P ?<0,001).

Após operações para defeitos cardíacos complexos (ToF, TGA e SV), as crianças têm piores parâmetros de função cardíaca e capacidade de exercício do que a população saudável. Para controlar isso, recomendamos ergoespirometria pós-operatória e determinação das concentrações de NT-proBNP.

Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4778997/

VEJA TAMBÉM:



Texto Original

Children who underwent surgery for complex congenital heart defects present worse exercise capacity than their healthy peers. In adults and adolescents, heart failure is assessed on the basis of clinical symptoms using the New York Heart Association (NYHA) score, while in an infant Ross scale; heart failure can also be evaluated by other parameters. The purpose of this study was to compare the degree of exercise tolerance in children after surgery for complex heart defects, assessed by the ratio of maximum oxygen uptake (VO2max) and the brain natriuretic peptide (N-terminal fragment of the prohormone brain-type natriuretic peptide [NT-proBNP]) concentration.

The study group consisted of 42 children, ages 9 to 17 years (mean 14.00?±?2.72). Among them there were 22 children with tetralogy of Fallot (ToF) after total correction, 18 children with transposition of the great arteries (d-TGA) after the arterial switch operation, and 2 children with single ventricle (SV) after the Fontan operation. All but 1 child were in NYHA class I. The control group consisted of 20 healthy children. Outcomes of interest were the ratio of VO2max, determined during ergospirometry, and the level of NT-proBNP. The statistical analysis was performed and the groups were considered significantly different for P?
There was no statistically significant correlation between NT-proBNP and maximum oxygen uptake (VO2) kg?1 min?1 in the study group compared with the control group.

The VO2max in the test group had a mean value less (34.6?±?8.0) than controls (38.4?±?7.7), and the differences were statistically significant (P?=?0.041). In contrast, the average concentration of NT-proBNP in the study group was higher than controls (117.9?±?74.3 vs 18.0?±?24.5), and these differences were statistically significant (P?
After operations for complex heart defects (ToF, TGA, and SV), children have worse heart function parameters and exercise capacity than the healthy population. To control this, we recommend postoperative ergospirometry and determination of NT-proBNP concentrations.

VEJA TAMBÉM: